Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diogo Limão

Recursos Humanos

A recompensa (Parte 3)

Apresentação Estágio2.jpg

Da esquerda para a direita, Pedro Rebelo (WISE), Luís Sebastião (Docente), Maria Amélia Marques (Docente Orientadora)

 

Terminou no dia 4 de dezembro de 2017, o meu primeiro ciclo de estudos superiores: terminei a minha licenciatura, de forma "oficial", com a discussão do meu relatório de estágio. É sobre isso que escrevo, hoje, no blogue, aproveitando para deixar os agradecimentos necessários àqueles que tornaram esta etapa final em algo muito rico.

 

Nos últimos textos desta rubrica -- A recompensa 12 -- tenho vindo a escrever sobre aquilo que Setúbal e a ESCE me trouxeram, quer ao nível pessoal como académico. Têm sido, com certeza, boas oportunidades para refletir sobre o significado que estas experiências têm tido em mim, principalmente, ao nível da gratidão, do viver no momento e aproveitar esse momento, como recompensa de um esforço que finalmente dá frutos. Pelas minhas contas, esta rubrica chega hoje ao fim. Não é que não preveja outras recompensas, contudo, não acredito que volte a escrever sob o mesmo título: estes três textos (ver aqui o primeiro e o segundo) têm sido o reflexo do meu percurso na ESCE enquanto estudante da Licenciatura em Gestão de Recursos Humanos e, dessa forma, fecharei este capítulo no blogue, assim como o fecho, na minha vida. Foi uma etapa espetacular que agora termina, deixando a porta aberta para outras, igualmente gratificantes e com significado. 

 

Estando a viver, agora, para os lados de Lisboa, segui para Setúbal para apresentar as principais conclusões do estágio curricular que frequentei na WISE Talent Partners. Esta cidade que me acolheu durante os meus três anos de licenciatura ainda traz a nostalgia das coisas boas que ficam na memória. Cheguei na Escola ainda com algum tempo disponível, necessário para o café que me asseguraria um bom estado de alerta para entregar a melhor apresentação que conseguisse. 

 

O objetivo desta prova seria, pertante um júri, defender o trabalho académico depois de uma breve apresentação de dez minutos. O júri presente na minha prova era constituído por um presidente (um docente da ESCE, o Professor Luís Sebastião); o orientador na organização acolhedora do estágio (Pedro Rebelo, da WISE Talent Partners); e a orientadora do estágio, na Escola (Professora Maria Amélia Marques).

 

Foi uma boa apresentação/discussão, creio. Digo-o porque me senti confortável e tranquilo a partilhar com o júri os resultados do meu esforço. Foi-me atribuída a classificação final de 17 valores, que me deixou orgulhoso da minha prestação.

 

Sinto-me profundamente grato por o meu percurso académico. Estou grato, em grande parte, por ter tido o acompanhamento que esperava, na realização do meu trabalho de estágio. Fui orientado pela docente que queria -- desde o momento que soube da necessidade de ser orientado por um docente da escola, na elaboração do relatório de estágio, no meu primeiro ano de curso -- e a quem reconhecia as competências e o extraordinário conhecimento para me desafiariam a ser o melhor aluno que podia ser, com o melhor trabalho que poderia fazer. 

 

São várias as pessoas que merecem o meu agradecimento mais sincero e, por essa razão, tomei a liberdade de os apresentar no meu Relatório de Estágio. Realmente, acredito que nenhuma viagem se faz sozinho e, por isso, partilho aqui o texto integral dos agradecimentos que faço no meu trabalho de estágio:

 

Acredito que nenhuma viagem se faz sozinho e, dessa forma, devo agradecer àqueles que mais me ajudaram, suportaram e apoiaram nos momentos bons e menos bons desta caminhada académica que agora termina.

Agradeço ao Dr. Pedro Rebelo a simpatia, os ensinamentos valiosos, as conversas produtivas que teve comigo e o facto de ter visto em mim competências, valores e capacidades que fizeram sentido explorar, durante todo o período de estágio curricular na WISE – Talent Partners.

À minha orientadora de estágio, Prof.ª Dr.ª Maria Amélia Marques, que me cativou desde o primeiro dia em que assisti a uma aula sua, agradeço a disponibilidade, simpatia e apoio na elaboração deste trabalho.

Agradeço à restante equipa da WISE – Talent Partners o apoio incondicional que me foi sendo dado a cada dificuldade e aprendizagem.

Aos meus pais, agradeço todo o esforço realizado para que pudessem cumprir o sonho de ver mais um filho formado no Ensino Superior e pelos valiosos conselhos de vida que fui recebendo, sempre.

Agradeço ao meu irmão gémeo, Miguel, pelo apoio incondicional durante três anos de Curso e pelos vinte e três em que tem estado presente e que me ajudaram a tornar-me na pessoa que sou hoje, pessoal, académica e profissionalmente.

À Ana Massano, uma irmã que a vida me trouxe, agradeço todos os conselhos, apoio e momentos, bons e menos bons, que partilhámos e que me foram permitindo a tornar-me na pessoa que sou hoje, pessoal, académica e profissionalmente.

À minha restante família, agradeço todo o apoio que me foi dado, sob qualquer forma, e que me permitiu terminar esta etapa académica.

À comunidade de Coaching, especialmente às pessoas com quem tive o privilégio de me cruzar no contexto da ICF – International Coach Federation, por me permitirem crescer com elas e moldar a minha visão do mundo profissional, ainda mais pelas Pessoas.

Aos meus clientes de Coaching, por me terem permitido crescer com cada ensinamento que me transmitiram e a pela possibilidade que me foi dada de, aos poucos, desenvolver e aplicar competências ímpares para um bom desempenho profissional no mercado de trabalho.

 

Aguardo anciosamente a nova etapa no meu percurso profissional. Quero continuar a crescer, a desenvolver-me e a colocar metas a mim próprio, para as quais terei de me preparar e esforçar para superar com sucesso! Quanto à ESCE, deixo a porta aberta porque o futuro é uma incógnita e -- quem sabe -- um dia volte ao sítio que me fez crescer tanto, nos últimos três anos da minha vida.

 

Por fim, quero deixar um agradecimento muito especial aos docentes que me acompanharam e que, de uma forma ou de outra, torceram -- e torcem -- por me ver vencer na minha vida profissional.