Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diogo Limão

Coaching & Recursos Humanos

Encontrar a solução onde menos esperas!

escolhas onde menos esperas.png

 

Hoje falo-te sobre algo que tenho vindo a experimentar no meu dia-a-dia, ao nível da minha gestão do tempo, e aproveito para te deixar, também, uma dica para começares a fazer aquilo que já tens à espera a algum tempo. A palavra-chave que tens de reter no final é "eficiência", neste caso a tua eficiência pessoal. Vem saber.

 

Nas últimas semanas tenho acumulado um conjunto de livros sobre coaching que quero mesmo ler, para melhorar as minhas competências e aprender novas ferramentas. Mas, sinceramente, ainda não tinha encontrado "a" solução para o meu dilema, até há poucos dias. Como muita gente, tenho-me queixado de falta de tempo. Aliás, não tenho encontrado o tempo ideal para estudar estes livros, porque estou numa altura mais preenchida dos meus compromissos, ao nível da licenciatura. A verdade é que tenho olhado para a minha realidade de uma forma pouco produtiva e potenciadora: o meu paradigma tem sido o de trade-off (ou seja, abrir mão de algo para poder ter mais de outro). O que me tem bloqueado até agora é que estou certo que não vou abrir mão, nesta fase, do meu foco na licenciatura. Então como vamos descalçar esta bota? Boa questão...

 

A minha solução passou pelo conceito de eficiência, quando respondi a mim mesmo numa sessão de auto-coaching a esta questão "O que é que podes fazer de diferente para teres melhores resultados?". Esta pergunta veio depois de uma contextualização da minha realidade: i) quero ler estes livros que estão pendentes; ii) não vou alterar o tempo que já dedico para estudar para o meu curso de licenciatura; iii) quero uma altura do dia em que consiga reter o que leio, logo, preferencialmente de manhã. A resposta mais imediata foi "nada...", porque parecia impossível. O "meu coach" perguntou-me "nada...?". Ok, ele aqui guiou-me a ir clarificar melhor as minhas opções. Fui então olhar para a minha agenda habitual e não vi nada que pudesse alterar... Ou podia?

 

Se usas agenda, quer seja ela física ou digital, deves estar familiarizado com o conceito de buracos na agenda. Quanto me refiro, neste contexto, a buracos na agenda quero referir-me a tempo livre. A minha "visão do problema" estava a olhar para esta minha agenda duma forma redutora: apenas olhava desde o momento que entrava nas aulas para a frente. Então, quando o "meu coach" me fez clarificar as minhas opções, olhei para a minha agenda -- e para os buracos na minha agenda -- pela "visão da solução": e antes de entrares nas aulas? Tinha encontrado a minha resposta: reparei que, por sistema e em modo de piloto automático (pela rotina... diga-se), depois de tomar o pequeno-almoço tenho entre 15 a 20 minutos livres até sair de casa. Escolhi esse tempo para desenvolver a outra parte da vida que me motiva: ajudar o outros através do coaching. E esta foi, sem dúvida, uma solução positiva porque fico com boas energias depois desses minutos. Não é muito, é verdade, mas é um primeiro pequeno passo para atingir o meu objetivo pessoal.

 

Então, a dica que te deixo, numa ótica de gestão de tempo, é: tens algum periodo em que consigas usar para desenvolver algo que queiras mesmo? Isto é, tempo que ainda não tenhas reparado que existia mas que podesses usar a teu favor? Se tens usa-o! 

 

Geralmente, só entramos em ação para a mudança que queremos quando a realidade que temos, atualmente, nos começa a incomodar. É esse desconforto que irá levar-te a teres (mais) opções disponíveis.

 

PS: Marca-o mesmo na agenda, para que eleves a sua importância e não te esqueças que ele tem significado para ti! Pensa que se o marcas estás, automaticamente, a comprometeres-te contigo mesmo!