Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diogo Limão

Coaching & Recursos Humanos

Mind Mapping: desbloqueie a sua criatividade!

Fonte: http://www.brainbalancecenters.com/wp-content/uploads/2014/11/Brain-Dominance-Immune-System.jpeg

Deixe fazer-lhe umas quantas perguntas para criar em si a motivação e a energia que vai precisar para ler este texto: já alguma fez um esquema para organizar ideias e achou insuficiente? Já alguma vez sentiu que relacionar as ideias que tem, no papel, é uma mais valia? Já alguma vez sentiu que fazer um lista não chega? Boa! Essa é a razão principal de você estar a ler este texto e já vai saber porquê!

 

Venho falar-lhe de Mind Mapping, uma ferramenta criada por Tony Buzan, que é por este considerada como uma ferramenta para o pensamento, permitindo potenciar todo o potencial do cérebro e assim criar ideias inovadoras e, acima de tudo, potenciar e desbloquear a criatividade!

Como o próprio nome nos sugere, enquanto aplicamos a ferramenta num qualquer tema em que temos de trabalhar (que não precisa de ser apenas para criar ideias novas, podendo ser utilizada simplesmente para nos ajudar a organizar o pensamento -- desde organizar as partes de um documento académico/empresarial a organizar a lista de compras do mês) criamos um mapa livre da nossa linha de raciocínio.

 

Antes de avançarmos para os pressupostos e para como se faz um mind map vamos saber, ou relembrar, alguns aspetos importantes que conferem eficácia a esta ferramenta.

 

Costumamos ouvir com muita frequência que o nosso cérebro se "divide" em dois lados, completamente diferentes, e que se dedicam a diferentes competências. Sabemos que o lado esquerdo está encarregue de funções como a lógica, o pensamento analítico, a organização, os conhecimentos e factos, estando o lado direito dedicado às funções criativas, intuitivas, à empatia, à capacidade para a perceção da arte e da música e da capacidade para olhar para a imagem global das situações. Este lado é também mais sensível às cores, naturalmente. 

Guardando por momentos o que acabou de ler no seu lado esquerdo do cérebro, saiba, também, que o cérebro funciona por associações e com recurso à imaginação. Agora deixo-lhe a pergunta: o que é o pensamento? Sabemos que há pensamento quando partimos de uma ideia base e fazemos uma conexão dessa com outra (tal e qual como quando criamos frases: juntamos palavras para criar sentido). Buzan defende que a utilidade do mind mapping é mesmo a de permitir o pensamento fluido, através de associações entre ideias-chave e figuras-chave

Voltando aos lados do cérebro: quando procuramos ideias novas e organizamos o nosso pensamento fazemos, por exemplo e com frequência, listas (que evocam essencialmente o lado lógico e analítico do cérebro) ou setas direitas e uniformes para unir essas ideias. Estes atos não utilizam, naturalmente, o lado criativo do cérebro -- que entra em ação na presença de cores, linha curvas e fluidas, palavras-chave e figuras-chave. Foi com a necessidade de criar uma solução para esse facto que Tony Buzan criou o mind mapping, que como vai ver a seguir utiliza ambos os lados do cérebro!

 

Pontos-chave/pressupostos do mind mapping:

  • Usar uma folha branca, deitada, como base;
  • Colocar no centro da folha a imagem/ideia/tema a trabalhar;
  • Utilizar ramos e subramos para interligar as ideias;
  • Os ramos não devem ser retos (para contrariar o impulso natural do cérebro em olhar para o seu mapa de forma muito "fechada");
  • Usar cores para cada ramo que sai do ponto principal (ganha relevância se tratar de várias variáveis diferentes);
  • Escrever por cima de cada ramo a palavra (o comprimento do ramo deve ser do comprimento da palavra, para permitir ao cérebro a associação direta das ideias entre os ramos);
  • Utilizar símbolos/figuras descritivas do que está presente no ramo (para complementar a ideia ou substituir as palavras (exemplo: pessoas > 3 bonecos palito; amor > coração; sucesso > gráfico ascendente; futebol > bola, etc).

Veja um exemplo, que retirei da internet:

https://www.mindtools.com/media/Diagrams/mindmap.jpg

Tem toda a razão... Este exemplo está muito elaborado e não tem algumas das regras que o criador da ferramenta definiu. Foque-se na ideia geral. Já que nem todos nós somos tão perfeitos a desenhar pode fazer algo mais simples, não esquecendo as cores, os ramos fluídos, figuras-chave (das simples... mas é importante porque "uma imagem vale mais do que mil palavras") e as palavras-chave (como pode ver nesta última imagem temos palavras como "comunicação", "grande", "escolhas", etc.).

 

Agora tem duas opções: fazer à mão (preferível, já que o ato de escrever permite reter a informação de forma mais eficaz na nossa memória de longo prazo) ou utilizar um software (há vários: o próprio Tony Buzan tem um que criou para o efeito, tem outros pagos e outros tantos gratuitos (online ou não)). 

 

Para exemplo, deixo-lhe um mind map que realizei no intuito de uma unidade curricular do curso superior que frequento:

Elaborado por Diogo Limão

  

Resta-me deseja-lhe espetaculares e produtivos mapas mentais para trazer ao de cima a criatividade que tem dentro de si e que tem andado escondida! Boa semana!

 

_____________

Como sei que é alguém que quer aprender mais deixo-lhe links para vídeos sobre o mind mapping:

Vídeo 1 - Maximize the Power of You Brain

Vídeo 2 - Tony Buzan Mind Mapping Tutorial

Vídeo 3 - How To Create A Mind Map

Vídeo 4 - How to Make a Mind Map - The Basics

Vídeo 5 - The Power of a Mind to Map: Tony Buzan at TEDxSquereMile