Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diogo Limão

Recursos Humanos

Sei qual é o tamanho do teu Mundo!

tamanhomundo.jpg

 

É verdade... sei qual é o tamanho do teu Mundo! Não o sei de forma quantitativa mas sim a um nível relativo, tendo em conta o que vais fazendo na vida, ao longo dos teus dias. Lê mais sobre isso! 

 

Como já deves ter percebido eu, no blogue, tento ir acompanhando o que me acontece (ou o que faço) em jeito de análise do que isso pode significar para mim, ao nível do Desenvolvimento Pessoal, e tento sempre retirar daí uma mensagem para te transmitir. Por isso vou contar-te um bocado sobre o meu dia de ontem e mostrar-te a mensagem que posso (podes) retirar dele.

 

Ontem estive a ajudar um familiar meu na mudança de uns candeeiros e na passagem de uns cabos de televisão pelos tubos interiores de uma casa. Foi uma atividade em que utilizei (atenção à linguagem positiva...!) umas boas horas... Perto de cinco, se não estou em erro. Eu, tal e qual como várias pessoas desse lado, sou alguém que não entende de eletricidade, logo, estas saídas para ser o "assistente" são para mim uma aprendizagem. Quer ao nível dos procedimentos quer ao nível dos (melhores) materiais a utilizar.

 

Contigo, como é quando fazes algo que não costumas fazer e sais completamente da tua área de conhecimento?

 

Olha, quanto a mim fico a sentir-me -- e senti-me -- "desnorteado" porque não sei algo que é fundamental, e que estou tão habituado de saber, que é o passo seguinte a dar.  Para mim, nesse dia, essa ausência foi o click que precisava para reconhecer algo que é muito importante aprendermos a reconhecer: a fronteira da nossa zona de conforto!

 

A entrada na zona de desconforto/desafio é aquela zona em que tu estás com, como o próprio nome indica, com desconforto de lá estar, independentemente de teres alguma capacidade para fazer o que quer que seja que tenhas de fazer por lá. Sabes quando começas a fazer algo que não costumas fazer (e que pela falta da totalidade dos conhecimentos/ferramentas para executar) e ficas com vontade de largar isso porque está a ser mais difícil do que pensavas?! Essa é a campaínha que toca dentro de ti, à qual o diabinho em cima do teu ombro exclama: "Vá... vira as costas e vai saíndo disso porque não gostamos de estar aí!". Esta zona de desafio é a zona imediatamente a seguir da zona de conforto e a linha entre elas é muito ténue. Lembraste da metáfora da porta que usei há uns tempos neste texto? É isso mesmo que se tem de fazer: forçar o que quer que estejas a fazer na tua zona de desconforto para a reduzir e, gradualmente, passares essas atividades "mais difíceis" todas para a zona de conforto. 

Quis por em itálico a expressão "não gostamos", do diabinho . Quem não gosta de lá estar é o teu lado mais preguiçoso. Tenho a certeza que, tal como eu, se começares a praticar algo que te custe um bocado, no início, irás começar a ver pontos positivos nessa atividade e, até, desfrutar dela porque te faz crescer de alguma forma. 

 

Quantas vezes já viste alguém que é muito "limitado" na sua visão do Mundo e na sua "razão das coisas serem como são"? Essas pessoas caem, muitas vezes e sem responsabilização, na desvalorização das ideias e opiniões dos demais. Por outras palavras "o seu Mundo é pequeno".

 

É isso mesmo: essa falta de consciência pode até estar relacionada com um espectro muito limitado de experiências fora da sua zona de conforto. Outra boa notícia sobre as zonas de desconforto é que elas têm uma excelente aprendizagem para nos dar. Essa aprendizagem irá acrescentar/alterar algo à nossa Realidade. Tomaste atenção ao início do texto? Quando te disse que sabia qual é o tamanho do teu Mundo? Eu acredito que o tamanho do nosso Mundo é igual ao tamanho da nossa zona de conforto! E tu, com o que tens lido aqui, já começas a ter, também, essa perceção?

 

Devemos apostar em fazer crescer o nosso Mundo! Já sabes como, por isso, agora é arregaçar as mangas e pôr mãos à obra!

 

AumentaOTeuMundo.png